Revisado e atualizado em 11/09/2020

Atenção ! Texto de caráter informativo ! Apenas um veterinário especializado em furões pode diagnosticar e indicar corretamente um problema. Não medique seu furão por conta própria !

O que é a dinofilariose

Vulgarmente conhecida como “verme do coração”, a dinofilariose é causada por um verme da família das microfilárias que instala-se nos vasos sanguíneos e aloja-se as vezes em grande quantidade no interior do coração e de outros órgãos como o baço, pulmões e fígado. O principal risco é a embolia, e morte. A doença compromete fortemente a qualidade de vida do animal. Quando não tratada a doença é 100% fatal em furões.

O verme interfere com a capacidade de bombeamento de sangue do coração e pode migrar para outros órgãos, como os pulmões, onde causa dano severo. O tamanho do coração fica aumentado, assim como a pressão arterial.

O parasita é transmitido por mosquitos e é endêmico em algumas regiões. Essa doença também afeta cães, gatos e outros mamíferos. Não existe vacinação contra ela, mas o tratamento e as medidas profiláticas são muito eficientes.

O problema é que é uma doença de difícil diagnóstico por parte de veterinários não familiarizados com furões e de difícil percepção por parte dos donos.

O diagnóstico é feito por exame clínico e de sangue, e existem testes tipo CITE que detectam na fase oculta ou inicial.

Sintomas

Os principais são:

  • Batimentos cardiacos acelerados
  • Fraqueza
  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Perda de massa muscular
  • Acumulação de fluidos no peito e no abdomen
  • As vezes, urina VERDE, o que geralmente é péssimo sinal.
  • Lingua, gengivas e lábios azulados

Caso tenha alcançado os pulmões, outros sintomas aparecem:

  • Tosse
  • Respiração rápida e curta (falta de ar)
  • Ruidos como estalos ao respirar, característicos de penumonia severa.

Fique sempre atento a mudanças de comportamento e aos sintomas.

Tratamento e Profilaxia

  • Evitar o mosquito transmissor é a primeira medida. Use repelente de mosquitos elétrico no cômodo onde dormem, 24 horas por dia.
  • Administração preventiva mensal de ivermectina ou selamicina. A dose deve ser calculada pelo veterinário, baseada no peso do animal e em outras informações, como condição das funções renal e hepática.
  • No caso da doença já instalada, e se o animal recusar a ingestão dos comprimidos, optar pela versão injetável.

Uma vez instalada a doença é de difícil tratamento pois embora esses medicamentos matem as microfilárias, os vermes mortos podem causar  embolia e morte. Se tratada bem no início as chances de recuperação são em torno de 75%.

Leve a dinofilariose a sério !

Fonte: Dr. Deborah W. Kemmerer, DVM