Texto originalmente publicado no site Ferretopolis.com (desativado), de autoria de Patricia Uellendahl , com sua devida autorização. O texto original está em itálico, sem modificações. Este é o terceiro e último artigo deste maravilhoso site que reproduzirei aqui. O site original pode ser encontrado neste link, na forma arquivada pelo Wayback Machine.

Sempre achei esse assunto muito delicado e nunca estive muito a vontade para publicar sobre isso e apesar disso poderia ter escrito mil coisas, mas o texto da Patrícia está tão bacana que pedi a ela para reproduzi-lo aqui.

Espero que possa ajudar alguém nesse momento tão difícil.

Espero também nunca mais ter que postar isso.


Meu amigao se foi – E agora? 

Estou escrevendo pois acredito que todos os dias alguem perde um animalzinho de estimaçao, e a dor é geralmenente tao grande que buscamos todos os tipos de consolo e a internet tem sido um meio facil e rapido.

Dia 29.06.05 minha ferret Pikku com 8 anos de idade se foi e deixou um enorme vazio. Hoje dia 04.07 resolvi escrever sobre a perda, pois os sentimentos ainda estao aflorados e com isso espero que os que leiam esta pagina se identifiquem e encontrem um pouco de paz no coraçao.

Encontrar o animal ja sem vida (como foi no meu caso), ter que decidir sobre a eutanasia, ver o animal ir embora nos seus braços ou ficar sabendo por familiares ou veterinario, independente de como seja a perda, ela é sempre dolorosa. Mesmo que esperada, por exemplo quando o animal padece de alguma doença terminal.

Os sentimentos de culpa, tristeza, impotencia, raiva sao comuns. Geralmente a perda começa com um choque, tudo parece surreal, como um pesadelo. 
Depois vem as duvidas: „por que agora?“ „Porque o meu bebe“.
Depois o sentimento de culpa : ..“devia ter feito mais“ devia ter ficado ao lado dele (a) „ se eu soubesse que ele (a) estava partindo“ Por que nao procurei outro veterinario „
Depois bate a raiva : “O remedio (ou a fata dele) matou meu bebe “ Aquele veterinario nao era competente“ „ Nao devia ter operado“
Ai vem uma tristeza que parece que nao tem fim: tudo lembra o animalzinho, e tudo o que o (a) pertencia passa a virar reliquia : o paninho, a casinha, o brinquedo preferido, a coleira…e o cheirinho que ficou nos pertences do animal, sao um alivio para o coraçao.

A tristesa é tao profunda que nao se vontade de fazer nada, as tarefas diarias viram um martirio, ha alteraçao no sono e no apetite (pra mais ou pra menos). Um cansaço gigantesco toma conta do corpo e da mente.

Nesta fase meu conselho é: ouça seu coraçao extravase todos seus sentimentos da forma que você quiser. Chore se tiver vontade ou curta o silencio. Converse com pessoas que vao entender seus sentimento, ou se isole se você se sentir melhor. Nao deixe que ninguem te diga se esta certo ou errado ou o tempo que deve durar o seu luto. Nao ligue quando algumas pessoas que nao sao capazes de amar os animais vierem te dizer „ era so um bicho“!

So você sabe a ligaçao de amor que você e seu animal tinha, so você sabe o quanto o seu animal significava para você.
E nos que amamos os animais sabemos que eles sao capazes do nos amar e nos entender .
A perda de um animal é comparavel a perda de um ser humano e nao menos importante!

Aos poucos a vida vai voltando ao seu ritmo normal. Voltar as atividades diarias nao significa que voce esqueceu seu bebe. Você jamais o (a) esquecera pois o amor os conectou pra sempre!

Devagar a raiva e a tristeza vao dando lugar a saudade. Ja sera possivel ver as fotos ou olhar para a casinha ou o local onde ele (a) dormia, sem sentir aquela dor no coraçao.

Alguns rituais podem talvez ajuda-lo (a) no processo da perda, como por exemplo, fazer um altar com a foto do animal e acendar uma vela ou incenso.
Escreva sobre seus sentimentos e sobre os momentos bons que voces dividiram juntos.
Ou preste um tributo pessoal em nossa pagina. Faça o que seu coraçao mandar , o importante é que você se sinta sintonizado com seu animal

Para muitos, a esperança de que a vida sobrevive a morte e de que um dia em algum lugar você o (a) encontrara alivia o sofrimento.

Mas sera que os animais tem mesmo alma ? Sera que eles reencarnam em seres humamos ou em outros animais?
Eu procurei em varios sites sobre reencarnaçao e alma do animal, mas as respostas nao me foram convincentes.

Cada religiao da uma explicaçao diferente :

As religioes ocidentais sao praticamente uninime em dizer que o animal possue uma alma coletiva ou alma grupo.Que nos seres humanos com nosso amor somos capazes de auxiliar essas almas a evoluirem pois „atenuamos“ o instinto selvagem do animal.

A evoluçao dos animais acontece lentamente mas um dia serao seres humanos. Porem nos seres humamos somos „especiais „ e jamais reencarnaremos como animais pois esses sao espiritos „inferiores“ ao do homem.

Nao tenho a intençao de ofender a religiao crença ou moral de ninguem. Cada pessoa encontra na sua crença a resposta que mais lhe convem.

Para os que como eu questionam a importancia do animal no mundo dominado pelos seres humaos, lançarei algumas duvidas para que possamos refletir juntos.

Ressalto novamente que nao tenho a intençao de ofender a religiao de ninguem. Sao duvidas que sempre acercaram meu coraçao.

Vamos la: 

Nos possuimos a capacidade de fala e escrita e podemos espalhar nossas ideias pelo mundo afora, influenciando costumes. Num tempo distante onde a sociedade era patriarcal, a Terra era quadrada e os animais eram essenciais para a sobrevivencia do homem , quem escreveria algo para que o mundo lesse dizendo que nos somos seres humanos somos inferiores ou iguais aos aniamis ?

Por que a evoluçao tem que culminar no homem? Porque somos inteligentes, temos disernimento do certo e do errado ?

E quem disse que os animais nao sao inteligentes? Eles simplemente nao podem se comunicar verbalmente nem por escrita pra se defender .

Os animais que nao tem contato com o homem e nao sao amandos, nao terao a oportunidade de evoluir?

E as religioes que pregam que os animais sao sagrados como o Budismo, Hinduismo e o Xamanismo , nao merecem credito ?
Nestas religioes ate nos seres humanos podemos reencanar como um animal. E por fazermos parte da mesma natureza, devemos respeita-los e reverencia-los.

Eu particularmente acredito que os animais sao como nos seres humanos, apenas num involucro diferente. Nao compro a ideia de alma coletiva, pra mim cada animal é um ser impar com personalidade distinta.

Porem nao sou dona da verdade e nao tenho qualquer embasamento cientifico nas minhas afirmaçoes, quero apenas deixar aqui minhas duvidas e angustias

Cabe a cada um procurar as respostas nas suas crenças seja ela qual for, refletir e tirar suas proprias conclusoes.

Espero que a você que acabou de perder o seu animal encontre logo a paz no seu coraçao.

Lidando com o sentimento de culpa

Culpa. É uma palavra que nos leva a mais profunda , mais terrível dos sentimentos de perda, horror, raiva e desespero.
Por que eu fiz o que fiz ? 
Por que eu nao pude fazer mais ? 
Será que eu o/a coloquei para dormir cedo demais ? 
Será que esperei tempo demais ?
Se eu tivesse apenas fechado o portao. 
Se  eu apenas tivesse percebido antes. 
Se eu apenas estivesse esperado um pouco mais. 
Se eu apenas tivesse procurado  o veterinário antes. 
Se eu apenas soubesse mais naquele  momento.
Se eu apenas tivesse escutado meus sentimentos.
Seu eu apenas tivesse ido a um veterinario melhor.

E nós nos debatemos com todas estas perguntas de  “Se” e ” Somente”. Por que nós fizemos isto ? Porque nós amamos nossos animais de estimacao. Porque nós desejamos que pudesssemos ter feito mais, nós desejamos que nao tivessemos feito o que fizemos.

Mas n´s nao podemos traze-los de volta. Nós nao podemos mudar o que fizemos e o que nao fizemos.

O que nós podemos fazer éparar de nos machucar pela culpa. Cada um de nós, da nossa maneira, fez o que achamos que era correto no momento, usando o que nós sabiamos e sentiamos. Cada um de nós tentou fazer o melhor que pudiamos e nós fizemos com a intencaode amor.

Nós somos seres humanos, com limitacoes e falhas. Nós nao sabemos tudo . Nós cometemos erros. Mas nós os fazemos com as melhores das intencoes.

Nós machucar a nós mesmos com a terrivel dor adicional de culpa, é fazer descaso do amor que sentimos pelos nossos animais de estimacao. Com muito, mais muito poucas excecoes, nós fizemos o melhor que sabiamos fazer naquele momento. Mesmo se nós sentimos que nao fizemos o que deveriamos ter feito, ou feito o que nao deveria, nós aprendemos e  agora todos se beneficiarao deste conhecimento.

Nossos amados animais se foram , e sem dor. Nós ainda nos torturamos com a dor da culpa e dúvida. è humano fazer isto , estmos sendo justos conosco ?

Nós amamos profundamente e o que diz que nós temos a profuda capacidade para amar, que muitos nao tem. Nós somos basicamente pessoas boas. Nao deviamos reconhecer esta bondade, ao inves de ficarmos nos dando dor, pelo que deveriamos ou nao deveriamos ter feito ?

Nós pegamos uma criatura adoravel, demos a ele (ou a lea) tudo o que podiamos. Demos carinho, passeamos, alimentamos, trocamos as caixas de necessidades, brincamos, nao dormimos nas noites de dificuldades. Nós cuidamos e fizemos tudo o que sabiamos  fazer naquelo momento. Nós olhamos dentro de seus olhos e sabiamos que eles nos entendiam, que nos amavamos.

Se nós nao soubemos o suficiente ou cometemos um erro inocente, acreditamos que eles nao nos entenderam, que nos amaram e nos perdoaram apesar disto ??? Eu acredito que  sim.

Nós precisamo nos perdoar. Se nos podemos aumentar noss conhecimento para ajudar os otros e usarmos nossa dor para fazer coisas melhores para nossos animais, paara os outros que estao sozinhos e para aqueles que estao la fora, sozinhos e perdidos.

Nós podemos fazer a diferenca. Mas somente se pararmos de nos odiarmos, e culpar-mos a nos mesmos por sermos seres humanos.

Deixe culpa ir embora. Saiba que seus bebes peludos nao culpam voce; eles entendem, porque eles conhecem seu coracao. Perdoe-se e  permita que todo o amor existe dentro de voce, esteja la para outro. Ha tantos que precisam do seu amor.

Aprenda e depois ensine. Continue aprendendo, e nao pare. Cada pedrinha de conhecimento e cuidado que voce  envia ira repercurtir ao redor do mundo contunuar crescendo. E talvez um dia, todos os animais srao amadaos e bem cuidados, e havera uma era de ouro para os animais e para aqueles que como nós ,os  amamos.


Ponte do Arco Iris

Bem do ladinho do céu tem um lugar chamado Ponte do Arco Íris.

Quando morre um animal que foi especial para alguém daqui, esse animal vai para Ponte do Arco Íris.

Lá existem riachos e colinas para que todos os nossos amigos possam correr e brincar juntos.

Tem muita comida, água e sol, e nossos amigos estão quentinhos e confortáveis. .

Todos os animais que estavam velhos e doentes voltaram a ter vigor e saúde; aqueles que estavam machucados ou aleijados estão inteiros e fortes novamente, exatamente como nas nossas lembranças dos tempos que já se foram.

Os animais estão felizes e contentes, exceto por uma coisinha: cada um deles sente falta de alguém muito especial , que teve que ficar para trás.

Todos correm e brincam juntos, mas chega o dia quando um subitamente para e olha para longe. Seus olhos brilhantes estão atentos; seu corpo treme de ansiedade. De repente ele começa a correr para longe do grupo, voando sobre o gramado verde, suas pernas indo mais e mais rápido.

Você foi avistado, e quando você e o seu amigo finalmente se encontrarem, vocês se abraçam numa reunião feliz, para nunca serem separados novamente. Os beijos alegres chovem sobre o seu rosto; suas mãos afagam de novo a cabeça amada, e você pode olhar mais uma vez nos olhos confiantes do seu amigo, ausentes há tanto tempo da sua vida mas nunca longe do seu coração.

Aí vocês cruzam juntos a Ponte do Arco Íris….


O luto é uma resposta normal a qualquer perda importante na vida. Acontece quando a morte veio após uma longa doença, ou quando foi um acidente súbito. Pessoas enlutadas experimentam traumas tanto físicos quanto emocionais enquanto tentam adaptar suas vidas aos abalos trazidos pela perda.

Há muito tempo os psicólogos reconheceram que o luto experimentado pelos proprietários de animais após a morte destes é o mesmo experimentado após a morte de uma pessoa. A morte de uma animal de estimação significa a perda da fonte de um amor incondicional. Não há mais para o proprietário o objeto de carinho e proteção. Assim, o proprietário perde o contato com “o mundo natural.” Esses sentimentos podem ser especialmente intensos nos idosos, solitários, ou casais sem filhos (para quem o animal é também um substituto da criança).


1. AS FASES DO LUTO

Na verdade o processo do luto não é um objeto concreto que pode ser dividido distintas. O luto é um processo contínuo, com cada pessoa vivenciando-o de uma forma forma diferente. Dividir o luto em to “fases” ajuda a pessoa enlutada a entender que as seus sentimentos são normais. Algumas pessoas passam rápido por todas as fases, enquanto outras parecem ficar “presas” numa fase específica. Rapidamente, as fases do luto são as seguintes:

1. CHOQUE E NEGAÇÃO

A realidade da morte ainda não foi aceita. Ele ou ela se sente atordoado e atônito – como se tudo aquilo fosse “irreal.”

2. RAIVA

A pessoa enlutada frequentemente se volta contra a família, amigos, elas mesmas, Deus, o veterinário ou o mundo em geral. Vão aparecer também sentimentos de culpa ou medo nesse estágio.

3. BARGANHA

Nessa fase a pessoa pede por um trato ou uma recompensa de Deus, do veterinário ou do padre. Comentários do tipo “Eu vou à Igreja todo dia se o meu animal voltar para mim” são comuns.

4. DEPRESSÃO

A depressão ocorre como uma reação à mudança do modo de vida ocasionada pela perda. A pessoa enlutada se sente extremamente triste, desesperançada, inútil e cansada. Ele ou ela sente falta do animal e pensa nele constantemente.

5. ACEITAÇÃO

A aceitação acontece quando as mudanças que a perda trouxe para a pessoa se estabilizam em um novo estilo de vida.

A intensidade e a duração do processo de luto dependem de vários fatores. A idade do proprietário, circunstâncias referentes à morte, relacionamento do animal com o proprietário e com os outros membros da família são todos fatores importantes. Uma morte recente de uma pessoa importante na vida do proprietário também pode afetar como se lida com a morte do animal. Geralmente crianças se recuperam mais rápido , enquanto os idosos são os que mais demoram a se recuperar. Às vezes a morte de um animal de estimação vai permitir que o proprietário finalmente lamente a perda de uma pessoa cuja morte ainda não tivesse sido aceita.


2. A MORTE DO ANIMAL DE ESTIMAÇÃO E AS CRIANÇAS

Muitas pessoas não percebem como a morte pode ser traumática e confusa para uma criança. As crianças tendem a ficar enlutadas por um período mais curto, mas a sua dor não é menos intensa. Crianças também tendem a voltar ao assunto com mais frequência , então muita paciência é necessária quando se lida com uma criança enlutada. Algumas dica importantes para ajudar uma criança nessa situação incluem:

1. Dar à criança permissão de lidar com a sua dor.
– contar ao professor sobre a morte do animal.
– encorajar a criança a falar livremente sobre o animal.
– dar à criança muito carinho e conforto.
– discutir a morte, o morrer e a dor honestamente.

2. NUNCA dizer coisas como “Deus levou o seu bichinho,” ou o animal está “dormindo para sempre.”
– A criança pode temer que Deus vá levá-la, seus pais ou seus irmãos.
– A criança pode ficar com medo de ir dormir.

3. Inclua a criança em tudo o que se passa.

4. Explique que a morte é permanente.


3. OS ANIMAIS SOFREM COM A MORTE?

Muitas pessoas acham difícil acreditar que animais criem laços muito fortes um com o outro. Mesmo animais que parecem mal se suportar podem exibir fortes sinais de stress quando separados. Na verdade, animais que perderam um companheiro podem exibir vários sintomas idênticos aos experimentados pelo pelo proprietário enlutado. O animal sobrevivente pode ficar inquieto, ansioso e deprimido. Ele pode suspirar com frequência, e ter a respeito de comer e dormir. É comum que os animais procurem por seus companheiros mortos e exijam mais atenção dos seus donos.

Como o proprietário pode ajudar um animal que sofre? Atenção para as seguintes recomendações:

1. Mantenha a rotina do animal sobrevivente o mais normal possível.

2. Tente não reforçar (mesmo que não intencionalmente) as mudanças de comportamento.

  • se o animal fica “escolhendo” comida, não fique trocando o “cardápio”. Isso só leva a um animal ainda mais difícil.
  • não exagere na atenção dada ao animal sobrevivente, já que isso pode levar à ansiedade de separação.

3. Permita que os animais sobreviventes trabalhem a nova hierarquia por eles mesmos.

  • podem haver brigas enquanto isso não fica resolvido (principalmente com cachorros).

4. Não adote um novo animal para fazer companhia para o animal sobrevivente a não ser que o proprietário esteja pronto.

  • não funciona a não ser que o proprietário esteja emocionalmente pronto para um novo animal.
  • pessoas que ainda estejam enlutadas não terão a energia necessária.

O proprietário deve permitir que os outros animais vejam e cheirem o companheiro morto?

Não há evidências que afirmem que esse gesto vá ajudar os animais sobreviventes, mas algumas pessoas afirmam que sim. Geralmente tudo o que acontece é que o proprietário se sente melhor. Assim, se o proprietário deseja que os outros animais “digam adeus,” então isso deve ser permitido.


4. FICANDO CURADO

Passado algum tempo, o processo de luto cheaga ao fim. Ainda ssim há diversas coisas que o proprietário entristecido pode fazer para apressar esse processo:

1. Dê a si mesmo permissão para sofrer.

  • só VOCÊ sabe o que o animal representava para você.

2. Organize um tributo ao seu animal.

  • faz que a perda pareça real e ajuda a concretizar.
  • permite que a pessoa expresse seus sentimentos e reflita.
  • reforça o apoio social.

3. Descanse bastante, coma bem e faça exercícios.

4. Fique rodeado de pessoas que entendam o que você está passando.

  • deixe que outros cuidem de você.
  • se beneficie de grupos de apoio para pessoas que perderam seus animais.

5. Aprenda tudo o que puder sobre o processo do luto. – ajuda os proprietários a perceber que o que eles sentem é normal.

6. Aceite os sentimentos que vêm com a dor.

  • fale, escreva, cante ou desenhe.

7. Permita a você mesmo pequenos prazeres.

8. Seja paciente com você.

  • NÃO deise que ninguém diga o quanto o processo de luto deve durar.

9. Dê a si mesmo a permissão da recaída.

  • isso VAI acabar e sua vida VAI ser normal de novo.
  • a dor é como as ondas do oceano: no começo as ondas vêm rápidas e fortes, mas conforme o tempo passa, elas ficam menos intensas e mais esporádicas.
  • não se surpreenda se feriados, cheiros, palavras ou sons provoquem uma recaída.

10. Não tenha medo de pedir ajuda.

  • grupos de apoio para a perda de animais
  • conselheiros emocionais.

11. Tenha certeza de consultar sua “Força Maior.”

  • religiosa ou espiritual.

5. CONCLUSÃO

O luto é provavelmente a sensação mais confusa, frustrante e emocional que uma pessoa pode sentir. É ainda mais para proprietários de animais. A sociedade em geral não dá a essas pessoas “permissão” para demostrar a sua dor abertamente. Dessa forma, os proprietários frequentemente se sentem isolados e sozinhos. Felizmente mais e mais recursos ficam disponíveis para ajudas essas pessoas a perceber que elas NÃO estão sozinhas e que o que elas sentem é completamente normal.

Margaret Muns MV é a veterinária do site da Best Friends: http://www.bestfriends.org – No Members & Pets Forum


Referências:

1.Lagoni, L., Butler, C. and Hetts, S: The Human-Animal Bond and Grief WB Saunders, Philadelphia 1994. Capítulos 2 e 10.

2. Oblas-Walshaw, S: Consoling Bereaved Clients. Proceedings, 12th Annual Seminar for Veterinary Technicians, Western States Veterinary Conference, 1983

3. Malay, M: Grieving the Loss of Your Beloved Pet . Panfleto distribuído pelo Community Service Systems, Fairview, Pennsylvania

4. Guntzelman, J. and Riegger, M. : Supporting Clients Who are Grieving the Death of a Pet. Veterinary Medicine Jan 1993

5. Hetts,S et all: Do Animals Grieve? Loss and the Companion Animal. Perspectives Nov/Dec. 1994

Links:

Paginas Espiritas : Os animais sao nossos irmaos:
http://www.paginaespirita.com.br/os_animais_sao_nossos_irmaos.htm

Espirito : reencarnaçao animal
http://www.espirito.org.br/portal/perguntas/rje0029.html

Budismo: 
http://www.dharmanet.com.br/hsingyun/buddhismo.htm

Carta do chefe Seattle:
http://www.geocities.com/RainForest/Andes/8032/page16.html

Hinduismo:
http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI141909-EI312,00.html
http://www.sergiosakall.com.br/tudo/religiao_hinduismo.html